O mundo ideal

Pela enésima vez sugeri que houvesse esforço presente e crescente para que se habitue a não desperdiçar, não pichar, não poluir, separar e reciclar o lixo etc, mesmo que tal esforço seja de poucos e insuficiente para livrar o planeta e as pessoas das gravíssimas consequências do comportamento errático da humanidade. Uma ouvinte disse que eu nem devia tocar no assunto, pois, naquele horário nenhuma criança escutava e aos adultos não adianta falar. Ponderei que se o mundo ideal não existe não faço disso desculpa para ser omisso ou desistente. Continue lendo “O mundo ideal”

Não é só o papel que aceita tudo!

Num dos grupos de WhatsApp dos quais participo postaram uma das mais compartilhadas falácias das redes sociais, aquela que afirma que na câmara dos deputados acabaram com o 13º salário, seguida da relação com os nomes dos infames que teriam suprimido este direito trabalhista. Quem postou pediu que eu falasse algo no grupo e aqui. Com a licença dos que estão além da capacidade de alcance dessas falácias, atendo ao pedido da amiga. Continue lendo “Não é só o papel que aceita tudo!”

Zé “Ruela”

Nas brincadeiras entre colegas ou amigos a gente até aceita ser chamado de Zé “Ruela”. Mesmo assim, cada um aceita com restrições entre insignificantes e gigantes, raramente admitidas, e porção de pessoas age como quando se recebe um apelido do qual não se gosta: cala, dissimula, desconversa, na esperança de que o apelido não “pegue”. Conheço gente que nem em brincadeira entre amigos admite ser chamada de Zé “Ruela”. Continue lendo “Zé “Ruela””

Propaganda ideológica

Tempos atrás, quase bastava informar a serventia do produto e onde comprá-lo. Hoje, com a concorrência e consumidores mais esclarecidos, exigentes e nem tão endinheirados, a publicidade também deve ser um espetáculo que prenda a atenção, entretenha e seja bem persuasivo para convencer que aquele produto, serviço ou empresa é melhor e deve ser comprado ou utilizado. É a publicidade ou propaganda comercial. A propaganda eleitoral apresenta candidatos a eleições aos Poderes Executivo e Legislativo como merecedores do voto do eleitorado: enaltecem suas qualidades pessoais, as obras que fizeram e as que farão se eleitos etc. Continue lendo “Propaganda ideológica”

Comunicação

Comunicamos mesmo sem perceber ou querer; até quando a interpretação do que passamos ou recebemos não é precisa. Comunica-se falando, gritando, silenciando, gesticulando, escrevendo, pintando, cantando, lecionando, hesitando, errando etc.; mesmo com mentiras, omissões e más intenções; mesmo com alguma limitação de visão, fala ou audição. Daí a importância da comunicação e seu poder. Daí ser importante que as pessoas se capacitem para fazer leitura crítica: habilidade de perceber se o que leu, viu ou ouviu é uma mensagem clara ou manipulada por interesses de terceiros. Continue lendo “Comunicação”

Traíras e bagres

As atividades profissionais e voluntárias que realizo propiciam conhecer e conviver  com gente bacana e que vale uma boa prosa e da qual se tem saudade.

Por outro lado, o efeito colateral é desperdiçar tempo e por à prova minha paz com profusão de criaturas das quais logo se descobre que a única coisa boa que podem oferecer é a ausência ou o contato absolutamente inevitável. Cuidado suscitado pela lembrança do “dize-me com quem andas e te direi quem és!” Continue lendo “Traíras e bagres”

O chato e os outros vizinhos

Naquela rua a pressão imposta pela cidade grande, mídia e tecnologia, facilita a que os vizinhos se distanciem uns dos outros: não se conhecem e não convivem como antes. Assim mesmo se observam e avaliam. Pela casa, roupas e automóvel, imaginam o poder aquisitivo. Pelo vocabulário e opiniões, deduzem o nível de cultura e erudição.

Pelas ações e reações, concluem quem é participativo, solidário, simpático, educado, tolerante, humilde, vaidoso, discreto; e quem é impertinente, intolerante, intrometido, obtuso, mentiroso… Continue lendo “O chato e os outros vizinhos”

Redes sociais virtuais e reais

Sou ainda tosco aprendiz de usuário das redes sociais. Preciso prosseguir melhorando, afinal, incluí às responsabilidades uma web rádio (radioplena.com.br), com programas ao vivo, inclusive, e as redes sociais são absolutamente fundamentais para disseminar esta novidade que uniu o rádio e a rede mundial de computadores.

Quando alcançar um patamar razoável de compreensão e uso das redes sociais – se bem que o dinamismo delas sempre exigirá aprender – espero confirmar o que penso hoje: tal como se dá com a televisão, o rádio e a internet como um todo, nas redes sociais há muita futilidade, mentira, distorção, ignorância etc. E há incontáveis e maravilhosas oportunidades de aprendizagem, diversão, interação etc. Continue lendo “Redes sociais virtuais e reais”