Informativo São José: Igreja em saída, que vai ao encontro!

Quando surgiu a televisão apressados decretaram o fim do rádio. Quando surgiu a internet apressados decretaram o fim do rádio, da televisão e dos impressos. O rádio, a televisão e os impressos passaram a comunicar também na internet e estes quatro modais estão cheios de exemplos de profissões, atividades, métodos, programas, empresas etc que nasceram e foram se adequando ou desapareceram pelas mais variadas razões, justas ou não. Assim continuará sendo em todas as áreas, com a gravidade da pós-modernidade pouco interessada nos valores cristãos. Continue lendo “Informativo São José: Igreja em saída, que vai ao encontro!”

A Páscoa é mais saborosa que chocolate!

Breves considerações sobre alguns dos símbolos da Páscoa.

Cordeiro

O cordeiro era sacrificado no primeiro dia da Páscoa, no templo, como memorial da libertação do Egito: seu sangue foi o sinal que livrou os primogênitos que o faraó mandara matar. Seu sangue era derramado no templo e sua carne comida na ceia pascal. Este cordeiro antecipava a Cristo, ao qual Paulo chama “nossa Páscoa” (1Cor 5, 7). João Batista, na margem do rio Jordão, vê Jesus passando e diz: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1, 29.36). Também o disse o profeta Isaías (Is 53, 7-12). E o Apocalipse O cita como cordeiro sacrificado, então vivo e glorioso (Ap 5, 6.12; 13, 8). Continue lendo “A Páscoa é mais saborosa que chocolate!”

O zelo de ser pontual

Num curso de formação inicial para MESC, após o intervalo, propus reflexão para que os possíveis futuros Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão lembrassem toda vez que fossem servir um enfermo, levando Jesus consigo:

“Não pude observar quem se mostrasse incomodado com o atraso para iniciar e reiniciar. Deduzo que ninguém se importará que nos atrasemos para o encerramento (somando os dois atrasos, meia hora após o horário programado). Se alguém, por motivo que nem precisará anunciar, tiver que sair a qualquer momento daqui por diante, por favor, fique à vontade. Quanto aos demais, pelo já exposto, estamos combinados…” Continue lendo “O zelo de ser pontual”

Piedosos e estudiosos, fé e obras!

Seguidor de Jesus e Sua Igreja deveria – durante toda a vida – estudar, conhecer, ensinar e seguir fielmente o CIC (Catecismo da Igreja Católica); a Bíblia, sob as orientações  corretas que a Igreja oferece e recomenda, incluindo igual atenção para a Tradição e o Magistério; para a Sagrada Liturgia (não confundir com equipe de Liturgia, em que pese sua indiscutível importância); os Documentos do Concílio Vaticano II (um oásis na história e na vida da Igreja e, ainda, um  ilustre desconhecido de quase todos); o Código de Direito Canônico (a Constituição da Igreja); outros Documentos, dentre eles os azuis (CNBB – orientações oficiais da Igreja no Brasil) e os laranjas (Exortações ou Encíclicas do Papa). Continue lendo “Piedosos e estudiosos, fé e obras!”

Morno a frio

Não escrevi na primeira pessoa do singular para me exibir e nem para ofender. Falei um pouco do que acontece comigo para que você se inspire a fazer uma honesta reflexão do que tem acontecido consigo. É Natal, ocasião propícia para nascer uma pessoa nova e melhor: cada um, quem quiser…

Aos trinta e três anos de idade comecei a dizer sim para Ele, não mais do modo morno com o qual muitos dos seus mais fiéis seguidores fazem e eu fazia: passei a aceitar o modo quente. Fui percebendo gradativamente, nada foi imediato e tampouco aceitei mansamente… Continue lendo “Morno a frio”

Morno a quente

Há alguns anos, ao final de palestra que não lembro onde, o que e para quem, ao encerrá-la, tive vontade de compartilhar uma reflexão que nunca contara a ninguém e que me aplicava – e aplico e me inquieto – cada vez que sinto estar entre ‘morno’ a ‘frio’. Tem conotação religiosa, porém, basta ao leitor, crente ou não em que há algo além da vida terrena, adaptar e refletir se, ainda que possua os predicados que seu currículo, discursos e certificados indicam, não haveria algo mais a descobrir, desenvolver, oferecer, aplicar etc… Continue lendo “Morno a quente”

Fé e cidadania

“É bom não fazer o mal, mas é mal não fazer o bem” (frase de São Alberto Hurtado SJ), lembrando o convite de São Paulo a não entristecermos o Espírito Santo, com o qual fomos marcados por Deus no dia de nosso Batismo.

“Mas eu me pergunto: como se entristece o Espírito Santo? Todos nós o recebemos no Batismo e na Crisma, portanto, para não entristecer o Espírito Santo, é necessário viver de uma maneira coerente com as promessas do Batismo, renovadas na Crisma. De maneira coerente, não com hipocrisia… O cristão não pode ser hipócrita: ele deve viver de maneira coerente. As promessas do Batismo têm dois aspectos: renúncia do mal e adesão ao bem”. Continue lendo “Fé e cidadania”

Você é católico?

A qualquer hora, temos certeza de estarmos mais certos que os outros, por mais errados que estejamos, por menos que saibamos: raramente admitimos isso, tampouco à frente de quem criticamos; porém, geralmente, é o que pensamos, por causa de sentimentos e ações resultantes de rancor, soberba, intolerância, ciúme, obtusidade, inveja… Ora conscientes, ora não. É da natureza humana. O problema decorre do abuso. Continue lendo “Você é católico?”

“Quem tem que saber, sabe!”

Um bom cristão cansou de coisas feias que acontecem na comunidade da qual participa. Como inúmeros outros fizeram e farão por motivos semelhantes, trocou de comunidade e não adiantou. Pensou em afastar-se, porém, antes, procurou-me. Escutei-o, desabafou e pediu que lhe dissesse algo. Falei que vivencio situações semelhantes, entretanto, tento ter outras atitudes. Daquele encontro resultou este artigo e, antes, a volta do bom cristão à sua comunidade religiosa. Sua identidade não vem ao caso e o título do artigo explica o motivo… Continue lendo ““Quem tem que saber, sabe!””