“Alguns por todos”

“Se tu não lutas, tem ao menos a decência de respeitar aqueles que o fazem!” José Martí

Associativismo pode ser definido como: alguns por todos!

Ou seja: alguns empresários emprestam seu tempo, seu trabalho, sua preocupação, suas ideias e até um pouco do seu dinheiro para a manutenção de uma instituição representativa e ativa em favor deles próprios e de todos os que ainda não a conhecem ou não se interessam em participar ou colaborar. Os propósitos da AECAJ –Associação Empresarial do Cajuru e região – estão resumidos no seu estatuto.

Ainda tento aprender:

– a não lamentar aquele que só participa se tudo funcionar sob sua vontade e opinião, não sabe partilhar ideias e ações;

– a não retrucar com aquele que desiste sob frágeis desculpas, uma delas, a de não ter uns trocados para ajudar a manutenção da instituição;

– a não me exasperar quando alguém que não sabe do que fala e não ajuda diz “vocês não fazem nada!”

– a me manter calmo quando alguém me interpela e faz as reclamações que todo mundo faz, exige soluções, com o nosso suor, como se fôssemos os culpados ou únicos responsáveis, mas, quando digo para vir se informar e participar, foge, mantendo o discurso de quem acha que tudo sabe e exige, não faz nada, mas, aceita tudo de mão beijada – a seu favor…

– a aprender a não querer dizer uns palavrões aos ‘chopins’ que se apossam do que a gente faz, como se feito por eles;

– a não perder a paz com quem propõe algo como “vamos tomar um dinheiro deles” ou vive a pedir dinheiro e favores, como se fôssemos um saco sem fundo cheio de dinheiro e obrigados a custear até a falta de iniciativa alheia;

– a entender que não se pode contentar a todos, mesmo alguns de boa fé, que querem atenção imediata e que esperam que os atendamos em seus pedidos plenamente.

Se houvesse mais gente consciente da importância e utilidade do associativismo, então, participando sensata e inteligentemente, há tempos já teria divulgado alguns projetos fantásticos que podem até vir a se tornar realidade, mas que avançam a passadas curtas e lentas.

Com frequência, e atualmente mais ainda, pessoas pedem favores e ajudas, convictas que a AECAJ ou o seu presidente podem e devem atender. Às vezes, até querendo, não posso, não consigo ou não devo atender. Decisões, é preciso toma-las com legalidade e máxima imparcialidade possível, mesmo sob a certeza de insatisfazer alguém, amigos até.

Assim, a liderança que venho exercendo ao longo de anos, profissional e voluntariamente, onde o pilar das minhas ações passa por compreender o comportamento humano com máxima precisão e lisura, ainda que eu próprio permaneça limitado e falível, me torna solidário para com os políticos dos quais sei ou creio se possa dizer serem sérios e capazes. O líder ou governante sério e capaz faz, resolve, avança etc. Mas, os problemas e as demandas sempre existirão, pois que as necessidades e vontades são constantes e diversas. E há soluções que dependem também dos liderados e não só dos líderes…

Nada mais asqueroso e enganoso que pretendente ao lugar do líder ou governante, cujo discurso é o de negar todos os méritos daquele que ocupa o lugar que cobiça e garantir que tudo será resolvido se ele, e somente ele, for colocado em seu lugar!…

Duvide de quem garante ter e ser a solução para todos os problemas coletivos. Conheça melhor e dê créditos a quem fala em parcerias, escuta e admite que  problemas nem sempre são resolvidos, mas, se pode continuar reduzindo ou eliminando.

José Carlos de Oliveira

Publicado originalmente em 1 de setembro de 2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *