Informativo São José: Igreja em saída, que vai ao encontro!

Quando surgiu a televisão apressados decretaram o fim do rádio. Quando surgiu a internet apressados decretaram o fim do rádio, da televisão e dos impressos. O rádio, a televisão e os impressos passaram a comunicar também na internet e estes quatro modais estão cheios de exemplos de profissões, atividades, métodos, programas, empresas etc que nasceram e foram se adequando ou desapareceram pelas mais variadas razões, justas ou não. Assim continuará sendo em todas as áreas, com a gravidade da pós-modernidade pouco interessada nos valores cristãos.

Sustentabilidade, desenvolvimento sustentável, logística reversa etc permanecem ignoradas ou desprezadas por quase todo mundo. O Papa Francisco exorta a cuidar da casa comum (Laudato Si): a maioria dos mais engajados nas dioceses e paróquias teimam no uso pouco ou nada exemplar da água, da eletricidade, combustíveis, alimentos etc, e na produção, separação e descarte do lixo: oram ao Deus de toda a Criação que continuam ajudando a matar. Reducionistas culpam os impressos pelos males à natureza, enquanto, em geral, descartam de qualquer jeito baterias de aparelhos eletrônicos e os próprios aparelhos. Tudo exige produção e descarte com adequação!

Há quem jure que as pessoas agora se informam e formam com os fartos recursos digitais. O que prolifera nos grupos de WhatsApp, no Facebook etc escancara que em essência pouco melhorou e algo piorou: do ensino fundamental ao superior permanece a preferência pela cola, pela decoreba e pelo furto do texto e pesquisa alheia; as relações interpessoais decresceram em quantidade e qualidade, sobram opiniões vazias e obtusas sobre quase tudo e quase todos; por ideias e ideais fundamentados e arrazoados, ou não, se briga, separa, mata ou morre.

Tal como bibliotecas convencionais, a internet por si só não faz milagre. Sem outras atitudes concretas, a internet não reduziu e compartilha três cânceres que mantém o país atolado em crônicas crises: indiferença à leitura, analfabetismo funcional e indigência de ética.

A internet no Brasil não é das melhores e é das mais caras, metade da população não é conectada, mas, não, não sou avesso à rede mundial de computadores: admiro-a tanto quanto ao rádio e à televisão, estou entre os primeiros internautas, sou dos pioneiros em web rádio. São maravilhosos meios de comunicação, bastando ter com eles um cuidado que haveria de ser constante em tudo, que é viver se aprimorando para saber identificar e separar o joio do trigo neles contido; ajudando a denunciar e a extirpar um, e a disseminar e gerar o outro. Comunicação remete à comunhão…

Desde a primeira edição o Informativo São José (ISJ) esteve aberto para “seu questionamento, sugestão ou crítica” e quem o leu e divulgou com boa vontade contribuiu para:

– de dezembro de 2003 até hoje tenha tido 185 edições mensais e ininterruptas, mais algumas extras;

– seja reconhecido como um dos mais tradicionais e fundamentados tabloides informativos paroquiais de toda a arquidiocese;

– seja lido por padres, seminaristas e leigos de outras paróquias;

– seja lido por pastores e fieis de outras denominações cristãs e por pessoas de outras crenças;

– seja lido por servidores de órgãos públicos da região;

– seja utilizado como subsídio em formações e pregações;

– seja distribuído em residências e estabelecimentos comerciais da região, com média de trezentos exemplares por mês e potencial para mais;

– seja distribuído aos frequentadores de um dos maiores centros da região, com média entre trezentos e mil exemplares, a depender da tiragem e potencial para mais;

– seja aproveitado por pessoas, grupos e periferias carentes da região;

– seja um meio de divulgação da presença da paróquia na internet;

– tenha sido apoio para pessoas se manterem ou voltarem a esta ou outra paróquia;

– tenha sido apoio para pessoas entenderem e buscarem sacramentos, a Sagrada Liturgia e a santa Missa, especialmente;

– tenha sido apoio para pessoas largarem a depressão e pensamentos suicidas;

– tenha sido apoio para pessoas aprenderem corretamente sobre o cristianismo;

– tenha ajudado pessoas a entenderem que cristão tem que ser cidadão.

Ao longo dos anos, alguns párocos quiseram que eu realizasse, com ajuda, um impresso equivalente em suas respectivas paróquias. Sempre agradeci a deferência, mas, declinei, por não poder fazer mais.

E olhe que o Informativo São José não é reconhecido e utilizado por considerável parcela dentre os partícipes da paróquia: rico recurso para evangelização, missão e catequese, como “santo de casa”, é ignorado ou subvalorizado por muitas dentre as chamadas lideranças paroquiais e outros agentes. A maioria age assim sem perceber e sem má intenção, demandando ações a conscientizar que embora fé e oração sejam mais importantes que formação, esta é cada vez mais necessária. As pessoas satisfazem ao seu sentimento religioso, mas, poucas se propõem a um processo de conversão, que exige muito mais. Enquanto isso, heresias e oportunismos em nome de Jesus e Sua Igreja proliferam na mídia, na política, esquinas etc, influenciando e se beneficiando de católicos e outros crentes desavisados.

Ao contrário do que às vezes acontece em pregações, formações e na internet, no Informativo São José tudo está conforme a doutrina e os documentos da Igreja.

Muitos paroquianos e outros alcançados pelo Informativo não são internautas e alguns possivelmente jamais virão a sê-lo. Dentre os que são vários ainda não navegam com naturalidade ou preferem a leitura no modo impresso. Sendo o hábito concreto da leitura uma questão delicada, e tudo daí derivado, em sua singeleza, o Informativo permanece viável; além de ser capaz de não ficar apenas pescando no aquário…

Por essas e outras, o Informativo São José tem seus apreciadores, colaboradores, indiferentes e opositores. Por omissão de uns e ação de outros, sabota-se a distribuição, o incentivo à leitura e ao estudo, a captação e manutenção de anunciantes, influencia-se indiferentes, acomodados e ingênuos… Embora não se encontre no Evangelho um único versículo que mostre Cristo sorrindo à frente e tramando pelas costas daqueles dos quais discordava, é assim que agem; por isso são perigosos e capazes de alcançar seu intento: matar o Informativo São José.

Quando isto acontecer, pensando em minha comodidade, serei o maior beneficiado, e proporcionalmente, cada um que ajuda a construir. Pensando nas quatro comunidades que formam a paróquia, teremos dado contra testemunho do que se espera duma Igreja em saída, que vai ou deveria ir ao encontro…

Cristão é ser, apesar das limitações e sujeição ao erro, conforme o caráter de Cristo. Ajuda muito se espelhar nos testemunhos de André, Pedro, Mateus, Simão, Tiago menor, Tadeu, Tiago maior, João, Bartolomeu, Felipe, Tomé, Paulo, Maria e José, Seus pais. Mas tem gente que prefere se espelhar na inveja e na hipocrisia de Judas e na covardia e omissão de Pilatos…

Que você e eu estejamos cada vez mais nos espelhando em exemplos do grupo maior!

José Carlos de Oliveira

Publicação original em 10 de maio de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *